Google anuncia a suspensão de negócios com a Huawei, após decisão do Presidente dos Estados Unidos

O Google, cujo sistema operacional Android está instalado na grande maioria dos smartphones do mundo, anunciou que cortou as relações com a Huawei. A decisão tem graves consequências para a empresa chinesa, que não poderá oferecer mais o Gmail ou Google Maps em novos aparelhos. O Google (cujo nome oficial é Alphabet Inc.) comunicou a […]

O Google, cujo sistema operacional Android está instalado na grande maioria dos smartphones do mundo, anunciou que cortou as relações com a Huawei. A decisão tem graves consequências para a empresa chinesa, que não poderá oferecer mais o Gmail ou Google Maps em novos aparelhos.

O Google (cujo nome oficial é Alphabet Inc.) comunicou a suspensão de alguns de seus negócios com a empresa chinesa Huawei que envolvam a transferência de tecnologia de hardware e software, após a publicação da Ordem Executiva do Presidente dos Estados Unidos (Executive Order on Securing the Information and Communications Technology) , Donald Trump, de controle governamental das transações de empresas norte-americanas com empresas estrangeiras de tecnologia de informação e comunicações, conforme noticiado pela Reuters.

O governo norte-americano preparou uma lista de empresas (black list) alvo das proibições de transações comerciais entre fornecedores norte-americanos e a fabricante Huawei. Em síntese, o foco do controle governamental é a cadeia de fornecedores de hardware e software da Huawei. À exceção desta restrição, o Google dispõe-se a fornecer apenas acesso ao software Android apenas na versão de código aberto.  Portando, software proprietário do Google não poderá ser objeto de licenciamento do Google para a Huawei.

Graves implicações

Deste modo, futuras versões do software Android não poderão ser utilizadas pela Huawei. Assim, na prática os usuários de smartphone Android não terão acesso aos serviços populares como Google Play Store, Google Maps, Gmail, bem como a plataforma de vídeos YouTube. A decisão do governo norte-americano também atinge outras empresas norte-americanas como Intel (fornecedora de chips para empresa chinesa), Qualcomm (fornecedora de processadores e modems), entre outras. A  decisão dos EUA  causa o risco  de atrasar o desenvolvimento da tecnologia de rede de comunicações  sem fio de quinta geração (5G). O tema insere-se no contexto da guerra comercial entre os Estados Unidos e a China pela liderança tecnológica mundial, no setor das redes 5G e inteligência artificial.

Publicações